Início

(…)

“Sim, já ao longe avistamos a luz – a Luz da Alma perene.

Eu, e Tu, e Nós… ouvimos o repicar de sinos, o som melodioso de flautas, de órgãos, de cítaras – o Som inaudito que desperta as almas famintas.

Neste Caminho sem margens, lobrigamos, a letras de fogo, as Insígnias Sagradas, apanágio dos Teus Mistérios:

Sabedoria – Beleza – Criatividade;

Propósito – Fortaleza – Coragem;

Firmeza – Modéstia – Constância;

Justiça – Equilíbrio – Poder;

Serviço – Amor – e Fraternidade.”

(…)

(do livro Cintilações, Nº 423, pg. 446, Autoria e Edição: CLUC – Centro Lusitano de Unificação Cultural, Lisboa 2017)